DESCRIÇÃO DO PRONOME CLÍTICO 'ME' EM CARTAS PESSOAIS DE DUAS REGIÕES NORDESTINAS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22289/sg.V5N1A4

Palavras-chave:

clítico me, funcionalismo, valência, dativo

Resumo

Neste artigo, buscamos descrever o comportamento sintático-discursivo do pronome me em dois materiais epistolares de duas regiões do nordeste do Brasil: Sertão de Pernambuco e Recôncavo da Bahia. Nosso trabalho está inserido no campo da Linguística e utiliza como aporte teórico-metodológico os pressupostos do Funcionalismo, com os autores: Hopper e Thompson (1980), Neves (2012), Fuzer e Cabral (2014) e Halliday e Matthiessen (2014). Bem como, a Teoria da Gramática de Valências, com: Neves (2000), Welker (2005), Perini (2007) e Rodrigues (2007). Como metodologia da nossa pesquisa, realizamos os seguintes passos: recorte dos contextos em que o fenômeno aparece nos corpora, levantamento dos dados sócio-históricos dos missivistas, classificamos o pronome me de acordo com as gramáticas e trabalhos investigados e analisamos a valência verbal, juntamente com os pressupostos do Funcionalismo. Nesse sentido, como resultado da nossa análise, a respeito das funcionalidades do clítico me, observamos que as gramáticas tradicionais e gramaticas descritivas não abarcam as particularidades do pronome dativo ético, ao não mencionarem sua capacidade de ser uma partícula discursiva, um elemento comutável com zero na estrutura frasal, não actante, mas que no contexto comunicativo posiciona escrevente e pode estar associada a questões de moralidade e afetividade, algo que é investigado em algumas pesquisas de cunho funcionalista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Técio Macedo , Universidade Federal de Pernambuco - UFPE

Licenciado em Letras, Língua e Literatura Inglesa, pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e Bacharel em Direito pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). Mestre em Ciências da Linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco (Unicap). Atualmente, é doutorando vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), bem como integra o Grupo de Estudos em Teoria da Gramática (GETEGRA/UFAPE).

Referências

ALI, M. Said. Gramática Secundária da Língua Portuguesa. São Paulo: Edições Melhoramentos, 1969.

AZEREDO, José. Fundamentos de Gramática do português. Rio de Janeiro: Editora: Jorge Zahar Editor Ltda., 2000.

BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

CAMBRAIA, César. Introdução à crítica textual. São Paulo: Martins Fontes, 2005. p. 86-107. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/2267200/mod_resource/content/1/Tipo%20de%20edi%C3%A7%C3%A3o%20-%20Cambraia.pdf.Acesso em: 09 de ago. de 2022.

CARNEIRO, Zenaide. Cartas brasileiras (1809-1904): um estudo linguístico-filológico. 2005. Tese (Doutorado) – Instituto de Estudos da Linguagem, Unicamp, Campinas, 2005.

CARNEIRO, Zenaide; OLIVEIRA, Mariana; ALMEIDA, Norma. Cartas brasileiras (1809-2000): coletânea de fontes para o estudo do português. Feira de Santana: Editora UEFS, 2011.

CARVALHO, Danniel. A estrutura interna dos pronomes pessoais em Português Brasileiro. 2008. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Alagoas. Maceió, 2008.

CARVALHO, D; BRITO, D. Pronomes: morfossintaxe e semântica. Salvador: EDUFBA, 2018.

CEGALLA, Domingos. Nova minigramática da língua portuguesa. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2008.

CORPUS DOHS. Corpus Eletrônico de Documentos Históricos do Sertão. Disponível em: http://www.tycho.iel.unicamp.br/cedohs/corpora/catalog-CB.html. Acesso em: 01 de jan. de 2021.

CUNHA, Angélica. Funcionalismo. In: MARTELOTTA, Mário. Manual de linguística. São Paulo: Contexto, 2020. p. 157 – 176.

CUNHA, Celso; CINTRA, Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. Rio de Janeiro: Lexicon, 2017.

CUNHA, M.; COSTA, M.; CEZARIO, M. Pressupostos teóricos fundamentais. In: CUNHA, M.; OLIVEIRA, M.; MARTELOTA, M. (Orgs.). Linguística Funcional: Teoria e prática. Rio de Janeiro, DP&A, 2003.

FUZER, Cristiane; CABRAL, Sara. Introdução à gramática sistêmico-funcional em língua portuguesa. Campinas: Mercado de Letras, 2014.

GALVES, Charllote; ABAURRE, Maria. Os clíticos no português brasileiro: elementos para uma abordagem sintático-fonológica. In: CASTILHO, A. e BASÍLIO M. (Orgs). Gramática do Português Falado. Vol IV. Estudos Descritivos. Campinas: Editora da UNICAMP. 2002. p. 267-313. Disponível em http://www.tycho.iel.unicamp.br/~tycho/pesquisa/artigos/ABAURRE_MBetalFase1a.pdf. Acesso em: 18 de ago. de 2019.

GALVES, Charllote. Padrões rítmicos, fixação de parâmetros e mudança linguística: Fase II. (Projeto de pesquisa FAPESP). Campinas: Unicamp, 2004.

GALVES, Charllote; BRITTO, Helena; PAIXÃO DE SOUSA, Maria. The change in clitic placement from Classical to Modern European Portuguese: results from the Tycho Brahe Corpus. Journal of Portuguese Linguistics, v. 4, n. 1, Special Issue on variation and change in the Iberian languages: the Peninsula and beyond, p. 39-67, 2005.

HALLIDAY, Michael; MATTHIESSEN, Christian. An Introduction to Functional Grammar. London: Oxford University Press, 2014.

HALLIDAY, Michael; MATTHIESSEN, Christian. An I0ntroduction to Functional Grammar. London: Oxford University Press, 2004.

HOPPER, Paul.. THOMPSON, Sandra. 1980. Transitivity in grammar and discourse. Language, v. 56, n. 2, p. 251-299. 1980

Laboratório de Documentação Linguística de Pernambuco. Manuscritos (cartas pessoais, século xx, Sertão do Pajeú, 1956 a 1977). Disponível em: http://www.ledoc.com.br/documento. Acesso em: 18 de ago. de 2019.

LACERDA, A.; FARIAS, A. MATOS, D. A partícula discursiva me. In: MATOS, D. (Org.). Sintaxe na Linguística Funcional. João Pessoa: Editora UFPB, 2021. p. 213-237. Disponível em: http://www.editora.ufpb.br/sistema/press5/index.php/UFPB/catalog/view/687/983/9524-1 Acesso em: 14 de jan. de 2022.

MARTINS, Ana. Clíticos na história do português. 1994. Tese (Doutorado) – Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa, Lisboa, 1994.

MARTINS, Marcos. A colocação de pronomes clíticos na escrita brasileira: para o estudo das gramáticas do Português. Natal: EDUFRN, 2012.

MARTINS, Marcos. Competição de gramáticas do português na escrita catarinense dos séculos 19 e 20. 2009. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-graduação em Linguística, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

MODESTO, A. ABORDAGENS FUNCIONALISTAS. REVISTA LETRA MAGNA. N. 4, 2006. Revista Eletrônica de Divulgação Científica em Língua Portuguesa, Lingüística e Literatura. Disponível em: http://www.letramagna.com/Abordagens.pdf. Acesso em: 12 de nov. de 2021.

NEVES. Maria. Gramática de usos do português. São Paulo: Editora UNESP, 2000.

NEVES. Maria. A GRAMÁTICA passada a limpo: conceitos, análise e parâmetro. São Paulo: Parábola, 2012.

PAVIANI, Neires. O pronome ético: uma característica dialetal. Caxias do Sul: EDUCS, 2004.

PERINI, Mário. Estudos de Gramática descritiva: as valências verbais. 2007. São Paulo: Parábola, 2007.

PERINI, Mário. Gramática descritiva do português brasileiro. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2017.

RODRIGUES, Bruno. Estudo Descritivo dos Usos do Clítico lhe na Variedade formal do Português. Dissertação (Mestrado) – DEPARTAMENTO DE LETRAS. Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem da Universidade Católica do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2007.

VANDERLEI, D. Transitividade oracional: reflexões sobre a função textual-discursiva dos pronomes o(s), a(s), me, te. 2014. (Dissertação) Mestrado em Estudos Linguísticos. Universidade Federal da Paraíba – UFPB. João Pessoa, 2014.

WELKER, H. A valência verbal em três dicionários brasileiros. Linguagem e Ensino. Vol. 8, N. 1, 2005. p. 73-100.

Downloads

Publicado

18-04-2024

Como Citar

NASCIMENTO, Tais; MACEDO , Técio. DESCRIÇÃO DO PRONOME CLÍTICO ’ME’ EM CARTAS PESSOAIS DE DUAS REGIÕES NORDESTINAS. Scientia Generalis, [S. l.], v. 5, n. 1, p. 39–55, 2024. DOI: 10.22289/sg.V5N1A4. Disponível em: https://scientiageneralis.com.br/index.php/SG/article/view/556. Acesso em: 25 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais

PURL