REFLEXÕES SOBRE A INCLUSÃO DOS ESTUDANTES COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NAS ESCOLAS INCLUSIVAS DE ENSINO MÉDIO

Autores

  • Kaellen Antunes Rabelo Seduc/Am

Palavras-chave:

Inclusão, Deficiência Intelectual, Ensino Médio

Resumo

O presente artigo é uma breve reflexão sobre a inclusão dos estudantes com deficiência intelectual nas escolas inclusivas de Ensino Médio. No contexto da educação inclusiva, buscou-se refletir sobre o processo de inclusão escolar dos estudantes com deficiência intelectual no ensino médio das escolas inclusivas. Perpassando-se pelos seguintes eixos temáticos: Caracterização da Deficiência Intelectual, Legislação dos Direitos das Pessoas com Deficiência Intelectual e os Parâmetros para a escolarização dos estudantes com deficiência intelectual. Tratando-se de uma pesquisa de natureza qualitativa com finalidade aplicada com método de revisão bibliográfica. Como resultados da pesquisa pode-se evidenciar que houve um aumento na oferta de vagas para os estudantes com deficiência intelectual nas escolas inclusivas, porém essas instituições escolares ainda precisam melhorar a estruturação pedagógica, investir na formação dos docentes das salas regulares e recursos, para que se passa desenvolver as habilidades socias e adaptativas desse público de estudantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AAIDD – AMERICAN ASSOCIATION ON INTELLECTUAL AND DEVELOPMENTAL DISABILITIES. Intellectual Disability: Definition, Classification and Systems of Supports.11. ed. Washington: AAIDD, 2018.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 2005.

BRASIL. Lei n.º 7.853, de 24 de outubro de 1989. Dispõe sobre o apoio às pessoas portadoras de deficiência. Diário Oficial da União: Brasília, DF, 1989.

BRASIL. Lei n.º 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União: Brasília, DF, 23 de dezembro de 1996.

BRASIL. Lei nº 13.146 de 6 de julho de (2015). Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm.

BRASIL. Ministério da Educação. O Plano de Desenvolvimento da Educação: Razões, Princípios e Programas. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2007.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução CNE/CEBn.o 4, de 2 de outubro de 2009. Institui Diretrizes Operacionais para o Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica, modalidade Educação Especial. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2009.

FARIA, W. de. Aprendizagem e Planejamento do Ensino. São Paulo: Ática, 2009.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

ONU. Declaração de Salamanca sobre Princípios, Política e Práticas na Área das Necessidades Educativas Especiais. Salamanca, Espanha, 1994. Disponível em: http://www.portal.mec.gov. br/seesp/arquivos/pdf/salamanca.-pdfBrasil. Acesso em: 19 jan. 2022.

ONU. Declaração internacional de Montreal sobre inclusão. Congresso Internacional Sociedade Inclusiva. Montreal, 2001. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/dec_inclu.pdf. Acesso em:19 jan. 2022.

PEREZ, T. (org.). BNCC – A Base Nacional Comum Curricular na prática da gestão escolar e pedagógica.São Paulo: Editora Moderna, 2018.

RABELO, K. A. Perspectivas Pedagógicas da Inclusão dos alunos com Deficiência Intelectual no Ensino Médio nas escolas inclusivas da coordenadoria distrital de educação v na cidade de Manaus/Amazonas/Brasil . 2021 142f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Ciência da Educação Universidad de La Integración de Las Américas, 2021.

UNESCO - SALAMANCA. Declaração Mundial e Educação para Todos e Plano de Ação para Satisfazer as Necessidades Básicas de Aprendizagem. Conferência Mundial sobre Educação para Necessidades Especiais. 1994. Salamanca (Espanha). Genebra: UNESCO.

Downloads

Publicado

2022-01-31

Como Citar

RABELO, K. A. REFLEXÕES SOBRE A INCLUSÃO DOS ESTUDANTES COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NAS ESCOLAS INCLUSIVAS DE ENSINO MÉDIO. Scientia Generalis, [S. l.], v. 3, n. 1, p. 82–88, 2022. Disponível em: https://scientiageneralis.com.br/index.php/SG/article/view/378. Acesso em: 3 jul. 2022.

Edição

Seção

Revisão de literatura

ARK

PURL