DESCRIÇÃO DA PRESENÇA DO FUNGO Septoria passiflorae EM LAVOURAS DE MARACUJÁ DE UMA COOPERATIVA DE PRODUTORES NA REGIÃO DO NOROESTE DE MINAS GERAIS – MG, E SUAS CARACTERÍSTICAS

Autores

  • Jessica Gonçalves de Fêlix
  • Dione Felipe de Jesus Mendes
  • Willyder Leandro Rocha Peres
  • Saulo Gonçalves Pereira

Palavras-chave:

fungo septoria passiflorae, maracujá-azedo, analise fitossanitária

Resumo

Introdução: O maracujá (Passiflora spp) é uma espécie que muito cultivada atualmente no Brasil. Existem aproximadamente 450 espécies de maracujá e as mais utilizadas são o maracujá-amarelo (Passiflora edulis) e o maracujá-azedo (Passiflora edulis Sims), sendo destinados ao mercado (in natura) e as fábricas. O maracujá pertence à família Passifloraceae, e pode ser cultivado na maioria das regiões tropicais e subtropicais. Os solos mais indicados são os arenosos ou levemente argilosos, profundos e bem drenados. sua produção é bem rentável, visto que sua produtividade média é em torno de 11 a 13 T/Ha, e havendo um bom manejo pode atingir cerca de 30 a 35 T/ha. Sua cultura é acometida por algumas doenças e pragas, tais como: a Antracnose, Micoses, Verrugoses e bacterioses. Dentre essas doenças destaca-se a Septoriose causada pelo fungo Septoria passiflorae, que causa o enrrugamento das folhas, perda da produção, aborto das flores além do acosionamento de poucos botões florais e não há o crescimento de novas ramas. Objetivo: Realizar o relato sobre o diagnóstico e descrição do fungo Septoria passiflorae na região do noroeste de Minas Gerais, além de fazer uma revisão sobre as características deste fungo, bem como a ação e dos acontecimentos que possibilitam que o fungo se desenvolva nas lavouras e, apresentar as formas para combater a Septoriose de forma que os insumos a serem usados não sejam toxico à lavoura, ao consumo e ao aplicadores. Metodologia: Para tanto, foram realizadas visitas de Campo às lavouras de uma cooperativa de produtores da região do noroeste de Minas Gerais onde é realizado o acompanhamento de produção e analise fitossanitária. Foram coletadas amostras e material botânico. Foi realizada a testagem laboratorial em um laboratório comercial acreditado. A revisão foi realizada em livros, teses, artigos científicos e materiais acessíveis via internet. Considerações: Por meio de observação, acompanhamento e análise laboratorial, constatou-se que o fungo Septoria passaflorae está presente na região. Seu crescimento é  propício em condições de verão com temperatura e umidade elevada, visto que pode ocorrer através da chuva, vento e roupa infectada. O fungo pode penetrar na planta associada a outras doenças como por exemplo: a antracnose e bacteriose ou se aproveitado de alguma queima da folha por pulverização (o que ocorreu na região). Tal fungo é de raro surgimento, todavia sua disseminação é facilitada na lavoura. Assim através das análises notifica-se a presença do fungo nesta região, porém necessitando de análises mais expressivas que ainda estão em processo.

Referências

-

Downloads

Publicado

2020-12-31

Como Citar

FÊLIX , J. G. de .; MENDES , D. F. de J. .; PERES , W. L. R. .; PEREIRA , S. G. . DESCRIÇÃO DA PRESENÇA DO FUNGO Septoria passiflorae EM LAVOURAS DE MARACUJÁ DE UMA COOPERATIVA DE PRODUTORES NA REGIÃO DO NOROESTE DE MINAS GERAIS – MG, E SUAS CARACTERÍSTICAS. Scientia Generalis, [S. l.], v. 1, n. S1, p. 34–34, 2020. Disponível em: http://scientiageneralis.com.br/index.php/SG/article/view/90. Acesso em: 17 jan. 2021.