Ricinus communis L. (MAMONA): Sementes Tóxicas Com Potencial Alelopático

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22289/sg.V4N2A1

Palavras-chave:

sementes, alelopatia, toxina, germinação

Resumo

Alelopatia se refere à interação das plantas pela liberação de substâncias químicas no meio ambiente, interferindo positiva ou negativamente e podem estar presentes em sementes de determinadas espécies. Desta forma, este trabalho buscou analisar o potencial alelopático das sementes de Ricinus communis L. (mamona), conhecida popularmente por suas propriedades tóxicas e do óleo extraído para utilidade industrial. Foi realizado a morfometria e verificado se o armazenamento destas sementes em diferentes temperaturas apresentou influência nos resultados obtidos. A pesquisa foi conduzida no Laboratório de Biologia da Universidade Cruzeiro do Sul, campus São Miguel com a preparação do extrato aquoso das sementes de mamona, diluído nas concentrações de 0% (controle), 25%, 50%, 75% e 100%, aplicados em sementes-testes (Lactuca sativa L. - alface e Solanum lycopersicum L. - tomate), observando os possíveis efeitos alopáticos durante a germinação sob as variáveis de germinabilidade e o índice de velocidade de germinação. As sementes de R. communis de ambos os armazenamentos não apresentaram variação em seu comprimento e largura.  Nos testes de germinação, foi comprovada a presença de substâncias alelopáticas, capazes de inibir e reduzir a germinação das sementes de alface e tomate. E a temperatura do armazenamento do espécime em estudo, não influenciou nos efeitos alcançados nos testes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALBRETSEN, J. C.; GWALTNEY-BRANT, S. M.; KHAN, S. A. Evaluation of Castor Bean Toxicosis in Dogs: 98 cases. Journal of the American Animal Hospital Association. v. 36. p. 229-233, 2000. Disponível em: https://confluence.cornell.edu/download/attachments/234029209/Castor%20bean%20toxicosis%20in%20dogs%2098%20cases.pdf?api=v2&modificationDate=1381110743000&version=1 . Acesso em: 24 nov. 2022.

ALEXANDER, J. et al. Ricin (from Ricinus communis) as undesirable substances in animal feed Scientific Opinion of the Panel on Contaminants in the Food Chain. The EFSA Journal. v. 6. p. 1-38, 2008. Disponível em: https://efsa.onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.2903/j.efsa.2008.726 . Acesso em: 03 out. 2022.

ALVES, M. O.; SOBRINHO, J. N.; CARVALHO, J. M. M. de. Possibilidades da Mamona como fonte de matéria-prima para a produção de biodiesel no Nordeste Brasileiro. Banco do Nordeste. Fortaleza. n. 1. p. 7-41, 2004. Disponível em: https://www.bnb.gov.br/s482-dspace/bitstream/123456789/135/1/2004_SDET_01.pdf . Acesso em: 02 out. 2022.

ARAÚJO, N. R. Práticas tradicionais de cura: poder mágico e espiritual das plantas medicinais nos rituais das comunidades quilombolas em Itamarandiba, Minas Gerais. Orientadora: Prof. Dr. Silvia Regina Paes. 2019. 103 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri. 2019. Disponível em: http://acervo.ufvjm.edu.br/jspui/bitstream/1/2335/1/neide_ribeiro_araujo.pdf . Acesso em: 26 ago. 2022.

BARROS NETO, J. J. da S. et al. Importância da semente das angiospermas e alguns aspectos dos sistemas de reprodução. In: SILVA, J. F. da.; ALMEIDA, F. de A. C.; QUEIROGA, V. de P. Sementes estudos tecnológicos. p. 17-38. 2014. Disponível em: http://www.ifs.edu.br/images/EDIFS/ebooks/2014/Sementes_Estudos_Tecnol%C3%B3gicos.pdf . Acesso em: 19 jul. 2022.

BELTRÃO, N. E. de M. Informações sobre o biodiesel, em especial feito com óleo de mamona. Embrapa Algodão. Campina Grande, PB. p. 1-3, 2003. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/CNPA/16664/1/COMTEC177.PDF . Acesso em: 02 out. 2022.

BELTRÃO, N. E. de M. Torta de mamona (Ricinus communis L.): Fertilizante e Alimento. Embrapa Algodão. Campina Grande, PB. p. 1-6. 2002. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/CNPA/19606/1/COMTEC171.pdf . Acesso em: 01 out. 2022.

BORGES, C. de S. et al. Efeitos citotóxicos e alelopáticos de extratos aquosos de Ricinus communis utilizando diferentes bioindicadores. Tecnologia & Ciência Agropecuária. João Pessoa. V. 5, n. 3. P. 15-20, 2011. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/55173/1/artigo1.pdf . Acesso em: 13 nov. 2022.

BRITO, N. M.; CHIERICE, G. O. Estudo da mobilidade de ricina e ricinina provenientes da torta de mamona (Ricinus communis) empregada como fertilizante de solo. Revista ACTA Tecnológica. v. 6, n. 2. p. 60-63, 2011. Disponível em: https://periodicos.ifma.edu.br/actatecnologica/article/view/109/77 . Acesso em: 06 out. 2022.

CANGEMI, J. M.; SANTOS, A. M. dos.; NETO, S. C. A revolução verde da mamona. Química nova na escola. v. 32, n. 1. p. 3-8, 2010. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc32_1/02-QS-1209.pdf . Acesso em: 11 set. 2022.

CETNARSKI FILHO, R.; CARVALHO, R. I. de. Massa da amostra, substrato e temperatura para teste de germinação de sementes de Eucalyptus dunnii Maiden. Ciência Florestal, Santa Maria. v. 19, n. 3. p. 257-265, 2009. Disponível em: http://coral.ufsm.br/cienciaflorestal/artigos/v19n3/A3V19N3.pdf . Acesso em: 01 mai. 2022.

CHOUHAN, H. S.; SWARNAKAR, G.; JOGPAL, B. Medicinal properties of Ricinus communis: A Review. International Journal of Pharmaceutical Sciences and Research. v. 12. p. 3632-3642, 2021. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/357240259_MEDICINAL_PROPERTIES_OF_RICINUS_COMMUNIS_A_REVIEW . Acesso em: 13 nov. 2022.

COELHO, M. de B et al. Atividade alelopática de extrato de sementes de juazeiro. Horticultura Brasileira. v. 29, n. 1. p. 108-111, 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/j/hb/a/pcDmWgZ569WLyRsxBwCnMtb/?format=pdf&lang=pt . Acesso em: 02 nov. 2022.

CUCHIARA, C. C. et al. Atividade alelopática de mamona (Ricinus communis) em aquênios de alface. XV Congresso de Iniciação Cientifica, VIII Encontro de Pós-Graduação. p. 1-4, 2016. Disponível em: http://www2.ufpel.edu.br/cic/2006/resumo_expandido/CB/CB_01376.pdf. Acesso em: 13 nov. 2022.

DRUMOND, M. A. et al. Cultivo da mamona para o semi-árido brasileiro. Embrapa Algodão. Petrolina, PE. 2008. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/CPATSA-2009-09/40024/1/CTE85.pdf . Acesso em: 04 set. 2022.

FERNANDEZ, L. G.; JESUS, T. S. R.; SANTOS, P. C. Ricinus communis L. Sementes, envelhecimento e estresse oxidativo. UFBA – Universidade Federal da Bahia, Salvador. p. 7-138, 2021. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/bitstream/ri/34561/3/Ricinus%20communis.pdf . Acesso em: 17 set. 2022.

FERREIRA, A. G.; AQUILA, M. E. A. Alelopatia: uma área emergente da ecofisiologia. Revista Brasileira de Fisiologia Vegetal. v. 12, p.175-204, 2000. Disponível em: http://www.lpv.esalq.usp.br/sites/default/files/8%20-%20Semana%204%20-%20Alelopatia%20na%20agricultura%20-%20referencia%20leitura%20-%20referencia%20leitura.pdf. . Acesso em: 19 mar. 2022.

FERREIRA, A. G.; BORGHETTI, F. Interferência: Competição e Alelopatia. In: FERREIRA, A. G. Germinação do Básico ao plicado. Artmed Editora. p. 253-264. 2004. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/335078531_Germinacao_Do_basico_ao_aplicado . Acesso em: 19 jul. 2022.

FONSECA, N. B. da S.; SOTO-BLANCO, B. Toxicidade da ricina presente nas sementes de mamona. Semina: Ciências Agrárias. Londrina. v. 35, n. 3. p. 1415-1424, 2014. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/4457/445744141050.pdf . Acesso em: 04 out. 2022.

FREITAS, S. M. de.; FREDO, C. E. Biodiesel à base de óleo de mamona: algumas considerações. Informações Econômicas. SP. v. 35, n. 1. p. 37-42, 2005. Disponível em: http://www.iea.sp.gov.br/ftpiea/ie/2005/tec3-0105.pdf . Acesso em: 01 out. 2022.

LORD, J. M.; SPOONER, R. A. Ricin Trafficking in Plant and Mammalian Cells. Toxins. p. 787-801. Disponível em: https://www.mdpi.com/2072-6651/3/7/787/pdf?version=1309429104 . Acesso em: 06 out. 2022.

LUZ, E. P. Caracterização morfofisiológica, molecular e agronômica de cultivares de mamona. Orientador: Dr. Renato Mendes Guimarães. 2012. 95 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Lavras. Lavras, MG. 2012. Disponível em: http://repositorio.ufla.br/bitstream/1/442/1/DISSERTA%C3%87%C3%83O%20Caracteriza%C3%A7%C3%A3o%20morfofisiol%C3%B3gica%2C%20molecular%20e%20agron%C3%B4mica%20de%20cultivares%20de%20mamona.pdf. . Acesso em: 01 mai. 2022.

MAIA, M. de. O. et al. Consumo, digestibilidade de nutrientes e parâmetros sanguíneos de cabras mestiças moxotó suplementadas com óleo de licuri ou mamona. Ciência Rural. v. 40, n. 1. p. 149-155, 2010. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/33208/1/API-Consumo-digestibilidade-de-nutrientes.pdf . Acesso em: 09 out. 2022.

MARTINS, J. L. A. et al. Efeito alelopático de mamona (Ricinus communis) sobre germinação de sementes de milho. XXXI Congresso Nacional de Milho e Sorgo. Bento Gonçalves – RS. p.1644-1647, 2016. Disponível em: http://www.abms.org.br/cnms2016_trabalhos/docs/1209.pdf . Acesso em: 13 nov. 2022.

MILANI, M.; JUNIOR, S. R. M.; SOUSA, R. de L. Sub-espécies de Mamona. Embrapa Algodão. Campina Grande, PB. p. 11-22, 2009. Disponível em: https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/749031/1/DOC230.pdf . Acesso em: 11 set. 2022.

MOHAMED, M. H.; MURSY, H. M. Improving quantity and quality of castor bean oil for biofuel growing under severe conditions in Egypt. Energy Procedia. v. 68. p. 117-121, 2015. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1876610215005457/pdf?md5=b60acf623d239f1b0e13f297ed433ec4&pid=1-s2.0-S1876610215005457-main.pdf . Acesso em: 02 out. 2022.

MOREIRA, J. de A. N. et al. Melhoramento da mamoneira (Ricinus communis L.). Embrapa Algodão. Campina Grande, PB.. p. 7-29, 1996. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/33369/1/MELHORAMENTO-DA-MAMONEIRA.pdf . Acesso em: 18 set. 2022.

PERES, L. E. P. Metabolismo Secundário. Biotecnologia. p. 1-25, 2004. Disponível em: http://www2.ufpel.edu.br/biotecnologia/gbiotec/site/content/paginadoprofessor/uploadsprofessor/ce5449dfcf0e02f741a5af86c3c5ae9a.pdf?PHPSESSID=e32d8df36f08f86ef80010a253f33762 . Acesso em: 25 mar. 2022.

PIRES, N. de M.; OLIVEIRA, V. R. Alelopatia. In: JUNIOR, R. S. de O.; CONSTANTIN,J.; INOUE, M. H. Biologia e manejo de plantas daninhas. Omnipax Editora, 2011. p. 95-123.

POMPEU, R. C. F. F. Substituição do farelo de soja pela torta de mamona destoxificada em dietas para ovinos: valor nutritivo e desempenho bioeconômico. Orientador: Prof. D. Sc. Magno José Duarte Cândido. 2009. 101 f. Tese (Doutorado em Zootecnia) – Universidade Federal do Ceará. Fortaleza, CE. 2009. Disponível em: https://repositorio.ufc.br/bitstream/riufc/17076/1/2009_tese_rcffpompeu.pdf . Acesso em: 02 out. 2022.

QUEIROGA, V. de P.; SILVA, O. R. R. F. Tecnologias utilizadas no cultivo da mamona (Ricinus communis) mecanizada. Embrapa algodão. 1° Ed. p. 10-228, 2021. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Vicente-Queiroga/publication/349992572_TECNOLOGIAS_UTILIZADAS_NO_CULTIVO_DA_MAMONA_Ricinus_communis_MECANIZADA/links/604a838692851c1bd4e27322/TECNOLOGIAS-UTILIZADAS-NO-CULTIVO-DA-MAMONA-Ricinus-communis-MECANIZADA.pdf . Acesso em: 18 set. 2022.

RIZVI, S.J.H.; HAQUE, H.; SINGH, U.K. & RIZVI, V. A discipline called allelopathy. In: RIZVI, S.J.H. & RIZVI, H. Ed. Allelopathy: Basic and applied aspects. London, Chapman & Hall, 1992. p.1-10.

ROCHA, A. C. Farelo de mamona industrialmente destoxificado como fonte protéica na dieta de ovinos. Orientador: Prof. Dr. Magno José Duarte Cândido. 2022. 53 f. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) – Universidade Federal do Ceara. Fortaleza, CE. 2022. Disponível em: https://repositorio.ufc.br/bitstream/riufc/63968/3/2022_dis_acrocha.pdf . Acesso em: 04 out. 2022.

RODRIGUES, P. Alelopatia. Agrotec revista técnico - científica agrícola. n. 7. p. 47-48, 2013. Disponível em: chrome-extension://efaidnbmnnnibpcajpcglclefindmkaj/viewer.html?pdfurl=https%3A%2F%2Fdigitalis-dsp.uc.pt%2Fbitstream%2F10316.2%2F29920%2F1%2FAgrotec7_artigo17.pdf%3Fln%3Dpt-pt&clen=5221427 . Acesso em: 19 mar. 2022.

SANTOS, F. P. A Alelopatia em Ecossistemas Agrícolas. Orientadora: Giselle Anselmo de Souza Gonçalves. 2021. 11 f. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Tecnologia em Horticultura) – Instituto Federal Goiano. Cristalina, 2021. Disponível em: https://repositorio.ifgoiano.edu.br/bitstream/prefix/2123/1/TCC%20-%20F%c3%a1bio.pdf . Acesso em: 10 abr. 2022.

SILVA, M. P. et al. Uma breve abordagem teórica sobre potencial alelopático em comunidades vegetais. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento. v. 11, n. 4. p. 1-8, 2022. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/26021/23819 . Acesso em: 11 abr. 2022.

SINGH, V. G. et al. Ricinus communis (Palm of Christ) healing touch of god. IJARnD - International Journal of Advance Research and Development. v. 3. p. 181-183. Disponível em: https://www.ijarnd.com/manuscripts/v3i2/V3I2-1228.pdf . Acesso em: 01 out. 2022.

SIRANGELO, P. Intoxicação pela Ricina. Arquivos Rio Grandenses de Medicina. p. 15-19, 2012.

SOUZA FILHO, A. P da. S.; ALVES, S. M. A. Alelopatia: das primeiras observações aos atuais conceitos. In: FIALHO, A. P. da S. S. Alelopatia: princípios básicos e aspectos gerais. Embrapa Amazônia Oriental. Belém. 2002. p. 15-23. Disponível em: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/387781 . Acesso em: 19 mar. 2022.

SOUZA FILHO, A. P. S.; TREZZI, M. M.; INOUE, M. H. Sementes como fonte alternativa de substâncias químicas com atividade alelopática. Planta Daninha. Viçosa - MG. v. 29, n. 3. p. 709-716, 2011. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0100-83582011000300025 . Acesso em: 19 jul. 2022.

SOUZA, C. S. M. de. et al. Alelopatia do extrato aquoso de folhas de Aroeira na germinação de sementes de alface. Revista verde de agroecologia e desenvolvimento sustentável grupo verde de agricultura alternativa (GVAA). Mossoró – RN. v. 2, n. 2. p. 96-100, 2007. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/277476222_ALELOPATIA_DO_EXTRATO_AQUOSO_DE_FOLHAS_DE_AROEIRA_NA_GERMINACAO_DE_SEMENTES_DE_ALFACE . Acesso em: 02 mar. 2022.

TAIZ, L. et al. Interações Bióticas. In: TAIZ, L.; ENGELBERTH, J. Fisiologia e Desenvolvimento Vegetal. Artmed. 6a ed. 2017. p. 693-729.

ZUCHI, J. et al. Variações na qualidade e tamanho de sementes de mamona pela época de semeadura e ordem floral. Revista Ciência Agronômica. v. 41, n. 3. p. 403-408, 2010. Disponível em: http://ccarevista.ufc.br/seer/index.php/ccarevista/article/view/671/458 . Acesso em: 14 nov. 2022.

Downloads

Publicado

17-07-2023

Como Citar

GUSMÃO, Vivian Maria Dias; CARREIRA, Rosana Cristina. Ricinus communis L. (MAMONA): Sementes Tóxicas Com Potencial Alelopático. Scientia Generalis, [S. l.], v. 4, n. 2, p. 1–22, 2023. DOI: 10.22289/sg.V4N2A1. Disponível em: http://scientiageneralis.com.br/index.php/SG/article/view/484. Acesso em: 15 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais

PURL