PLANTAS MEDICINAIS UTILIZADAS PARA TRATAMENTO DA SINUSITE NO BRASIL: uma revisão de literatura

Autores

  • Juliana Rodrigues Santos Faculdade Florence
  • Fabrício Drummond Vieira da Silva Faculdade Florence https://orcid.org/0000-0003-2762-5337
  • Heliana Trindade Marinho Santana Faculdade Florence
  • Talita Fernandes Neulls Faculdade Florence

Palavras-chave:

Plantas medicinais, Etnobotânica, Sinusite, Brasil

Resumo

A sinusite é uma das doenças respiratórias crônicas, que representam um dos maiores problemas de saúde mundialmente, caracterizada por uma inflamação na cavidade nasal e nos seios paranasais. Grande parte da população portadora de tal afecção recorre a tratamentos naturais, principalmente ao uso de plantas medicinais, para tratamento e cura de doenças. O objetivo deste trabalho foi realizar um levantamento das plantas medicinais utilizadas nas diferentes localidades do Brasil para o tratamento da sinusite, por meio de uma revisão de literatura integrativa. A coleta de dados foi realizada através da busca por artigos científicos, teses ou dissertações nas bases de dados virtuais: SciELO, Google Acadêmico e Biblioteca Virtual de Saúde. Foram encontrados 998 estudos e selecionou-se uma amostra final de 40 artigos. As regiões identificadas nestes foram: Nordeste (19), Norte (8), Sudeste (5), Centro-oeste (5) e Sul (3). Foram identificadas 86 plantas, das quais 32 são nativas do Brasil e 17 estão presentes na RENISUS estando, no total, distribuídas em 35 famílias. Dentre as partes e formas de uso mais utilizadas, as folhas (51,25%) e os chás (19,57%) foram os mais citados, respectivamente. Dentre as espécies encontradas, as 5 mais citadas foram a Luffa operculata Cogn., Eucalyptus globulus Labill., Amburana cearenses (Allemão) A.C.Sm., Mentha arvensis L. e Rosmarinus officinalis L. A pesquisa realizada demonstra que a grande maioria das plantas utilizadas popularmente para a sinusite não possuem evidências científicas na literatura e somente a L. operculata Cogn. apresenta estudos publicados com efeitos positivos e apenas em testes feitos in vitro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Doenças respiratórias crônicas / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2010.

Patel, Z. M.; Hwang, P.H. Acute sinusitis and rhinosinusitis in adults: Clinical manifestations and diagnosis - 2018. Disponível em: https://www.uptodate.com/contents/acute-sinusitis-and-rhinosinusitis-in-adults-clinical-manifestations-and-diagnosis. Acessado em:10/09/2020.

Patel, Z. M.; Hwang, P.H. Uncomplicated acute sinusitis and rhinosinusitis in adults: Treatment- 2019. Disponível em: https://www.uptodate.com/contents/uncomplicated-acute-sinusitis-and-rhinosinusitis-in-adults-treatment. Acessado em: 10/09/2020.

Goiás (Estado). Secretaria de Estado da Saúde- Sinusite. Disponível em: https://www.saude.go.gov.br/biblioteca/7649-sinusite - 2019. Acessado em: 10/09/2020.

Anselmo-Lima et al. Rhinosinusitis: evidence and experience. A summary. Braz J Otorhinolaryngol. 2015;81:8-18. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/bjorl/v81n1/pt_1808-8694-bjorl-81-01-00008.pdf. Acessado em: 10/09/2020.

Ferri, JJ; Martha, V. F; Steffen, N. Rinossinusites: diagnóstico e tratamento. Disponível em: http://docs.bvsalud.org/biblioref/2018/03/881087/rinossinusites-diagnostico-e-tratamento.pdf. Acessado: 11/09/2020.

Anselmo-Lima, W. T.; Tamashiro, E.; Valera, F.C.P. Tratamento atual da rinossinusite aguda- Recomendações - Atualização de Condutas em Pediatria -2016. Disponível em: https://www.spsp.org.br/site/asp/recomendacoes/Rec78_Otorrino.pdf. Acessado em: 11/09/2020.

De Sousa et al. Doenças respiratórias e fatores associados: estudo de base populacional em São Paulo, 2008-2009; Rev Saúde Pública 2012;46(1):16-25. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rsp/v46n1/2639.pdf. Acessado em: 11/09/2020.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Práticas integrativas e complementares: plantas medicinais e fitoterapia na Atenção Básica/Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2012. 156 p. : il. – (Série A. Normas e Manuais Técnicos) (Cadernos de Atenção Básica ; n. 31)

Bulletin of the World Health Organization. Regulatory situation of herbal medicines. A worldwide review, Geneva, 1998.

Veiga et al. Plantas medicinais: cura segura?. Quím. Nova. 2005;28(3):519-528. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/qn/v28n3/24145.pdf. Acessado em: 10/01/2021.

Sales, P. S.; Albuquerque, H. N.; Cavalcanti, M.L.F. Estudo do uso de plantas medicinais pela comunidade quilombola Senhor do Bonfim - Areia-PB. Rev. Biol. Cien. Terra. 2009; 1: 31-36. ISSN 1519-5228. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/500/50026200002.pdf. Acessado em: 10/01/2021.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Assistência Farmacêutica. Política e Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos / Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Assistência Farmacêutica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2016.

Brasil. Ministério do Meio Ambiente. Fauna e Flora. Disponível em: https://www.gov.br/mma/pt-br/assuntos/biodiversidade/fauna-e-flora. Acessado em: 10/01/2021.

Coan et al. A utilização das plantas medicinais pela comunidade indígena de Ventarra Alta -RS. Revista Saúde e Biologia, v.9, n.1,p.11-19,2014.

Borba, A.M; Macedo, M. Plantas medicinais usadas para a saúde bucal pela comunidade do bairro Santa Cruz, Chapada dos Guimarães, MT, Brasil. Acta Botan Bras. 2006; 20(4): 771-782. ISSN0102-3306. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0102-33062006000400003. Acessado em: 10/01/2021.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Assistência Farmacêutica. Política nacional de plantas medicinais e fitoterápicos / Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Assistência Farmacêutica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2006. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_fitoterapicos.pdf. Acessado em: 10/01/2021.

Brasil. Manual de Cultivo de Plantas Medicinais-Programa de Plantas Medicinais e Fitoterapia. Rio de Janeiro: SMSDC, 2011. 24p.

Brasil. Ministério da Saúde. 2009. RENISUS. Disponível em: http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/junho/06/renisus.pdf. Acessado em: 03/02/2021.

Gonçalves, K.G.; Pasa, M.C. A etnocategoria medicinal e a etnofarmacologia na comunidade Sucuri em Cuiabá - Mato Grosso; v. 1 n. 7 (2015): FLOVET. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/flovet/issue/view/226. Acessado em: 03/02/2021.

Lisboa et al. Estudo etnobotânico em comunidade quilombola Salamina/ Putumujú em Maragogipe, Bahia; Revista Fitos, Rio de Janeiro, vol. 11 (1), 1-118, 2017. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5935/2446-4775.20170006. Acessado em: 03/02/2021.

Gomes, T. M. F; Lopes, J.B.; Barros, R. F. M.; Alencar, N. L. Plantas de uso terapêutico na comunidade rural Bezerro Morto, São João da Canabrava, Piauí, Brasil. Gaia Scientia, v. 11, n. 1, 31 mar. 2017. Disponível em: https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-1268.2017v11n1.33683. Acessado em: 03/02/2021.

Reis, Gabriela Santana. Levantamento do uso de plantas medicinais por agricultores de municípios de Sergipe. 2018. Disponível em: https://ri.ufs.br/bitstream/riufs/8761/2/GABRIELA_SANTANA_REIS.pdf. Acessado em: 04/02/2021.

Cruz, V.M.S.; Gonçalves, A.L.; Campos, J.R.P; Reis, A.R.S. Aspectos socioeconômicos e o cultivo de plantas medicinais em quintais agroflorestaisurbanos (qaf) no município de Breu Branco, Pará, Brasil. Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer, v. 14 n. 25; p. 158-170, 2017. Disponível em: http://doi.org/10.18677/EnciBio_2017A15. Acessado em: 04/02/2021.

Povh, J.; Assunção, E.F.; Rocha, L.M.; Ferreira, G.L.S. Estudo etnobotânico de plantas medicinais utilizadas pela população da comunidade Boa Vista, Prata – MG; Brazilian Geographical Journal: Geosciences and Humanities research medium, Ituiutaba, v. 5, n. 1, p. 46-59, jan./jun. 2014. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/braziliangeojournal/article/view/23110. Acessado em: 04/02/2021.

Guimarães, B. O.; Oliveira, A.P.; Morais, I.L. “Plantas Medicinais De Uso Popular Na Comunidade Quilombola De Piracanjuba - Ana Laura, Piracanjuba, G”O; Fronteiras: Journal of Social, Technological and Environmental Science 8 (3), 196-220, 2019. Disponível em: https://doi.org/https://doi.org/10.21664/2238-8869.2019v8i3.p196-220. Acessado em: 05/02/2021.

Chaves, E.M.F., Barros, R.M.F. Diversidade e uso de recursos medicinais do carrasco na APA da Serra da Ibiapaba, Piauí, Nordeste do Brasil; Rev. Bras. Pl. Med., Botucatu, v.14, n.3, p.476-486, 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbpm/a/wdK9g6SqZWbvhLKfK3VtyKS/?lang=pt&format=pdf. Acessado em: 05/02/2021.

De Carvalho, T.L.G.S. Etnofarmacologia e fisiologia de plantas

medicinais do quilombo Tiningú, Santarém, Pará, Brasil; 2015. Disponível em: https://repositorio.ufopa.edu.br/jspui/bitstream/123456789/119/1/Dissertacao_EtnofarmacologiaeFisiologiadePlantas.pdf. Acessado em: 05/02/2021.

Messias, M.C.T.B; Menegatto, M.F.; Prado, A.C.C.; Santos B.R.; Guimarães, M.F.M. Uso popular de plantas medicinais e perfil socioeconômico dos usuários: um estudo em área urbana em Ouro Preto, MG, Brasil; Rev. Bras. Pl. Med., Campinas, v.17, n.1, p.76-104, 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbpm/a/bM596Lf4GfM5sdnX5rLLNft/?lang=en&format=pdf. Acessado em: 05/02/2021

De David, M.; Pasa, M.C. As plantas medicinais e a etnobotânica em Várzea Grande, MT, Brasil; INTERAÇÕES, Campo Grande, v. 16, n. 1, p. 97-108, jan./jun. 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/j/inter/a/CnVdghW9hzS6nVBQDvD9w4g/?format=pdf&lang=pt. Acessado em: 05/02/2021.

Vásquez, S.P.F.; De Mendonça, M.S.; Noda, S.D.N. Etnobotânica de plantas medicinais em comunidades ribeirinhas do Município de Manacapuru, Amazonas, Brasil; VOL. 44(4) 2014: 457 – 472. Disponível em: https://www.scielo.br/j/aa/a/VygsxBjLYBDf8NcWBHGYF8Q/?format=pdf&lang=p. Acessado em: 05/02/2021.

De Carvalho, M.A.O. Levantamento etnofarmacológico das plantas utilizadas como medicinais na zona urbana da cidade de São Bernardo – MA; 2018. Disponível em: https://monografias.ufma.br/jspui/bitstream/123456789/2411/1/MarcosAntonioOliveiraCarvalho.pdf. Acessado em: 05/02/2021.

Santos, E. D.; Faria, M.T.; Vilhalva, D. A. A. Levantamento etnobotânico das plantas medicinais utilizadas pela população do residencial Goiânia Viva, Região Noroeste- Goiânia, Goiás, Brasil; REVISTA ELETRÔNICA DE Educação Da Faculdade Araguaia, 7: 13-40, 2015. Disponível em: https://www.fara.edu.br/sipe/index.php/REVISTAUNIARAGUAIA/article/view/324/291. Acessado em: 07/03/2021.

Hentges, A. N. Dados socioculturais de usuários de plantas medicinais e plantas utilizadas como medicinais no município de Cândido Godói, Rio Grande do Sul; Cerro Largo, 2015. Disponível em: https://rd.uffs.edu.br/bitstream/prefix/2597/1/Hentges.pdf. Acessado em: 07/03/2021.

Cassino, M. F. Estudo etnobotânico de plantas medicinais em comunidades de várzea do Rio Solimões, Amazonas e aspectos farmacognósticos de Justicia pectoralis Jacq. forma mutuquinha (ACANTHACEAE); Manaus, 2010. Disponível em: https://bdtd.inpa.gov.br/bitstream/tede/2046/5/Disserta%c3%a7%c3%a3o_Mariana%20Franco%20Cassino.pdf. Acessado em: 07/03/2021.

Marinho, M.G.V.; Silva, C.C; Andrade, L.H.C. Levantamento etnobotânico de plantas medicinais em área de caatinga no município de São José de Espinharas, Paraíba, Brasil; Rev. Bras. Pl. Med., Botucatu, v.13, n.2, p.170-182, 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbpm/a/YJpwwP3dWHb8bsstsFGpMqH/abstract/?lang=pt. Acessado em: 07/03/2021.

Otoni, T. C. O. Levantamento etnobotânico de plantas utilizadas com fins medicinais e cosméticos em comunidades tradicionais do município de Araçuaí, Minas Gerais; Diamantina, 2018. Disponível em: http://acervo.ufvjm.edu.br/jspui/bitstream/1/2008/1/thaisa_clara_ornelas_otoni.pdf. Acessado em: 07/03/2021.

Da Silva, S. Conhecimento botânico local de plantas medicinais em uma Comunidade Rural no Agreste da Paraíba (Nordeste do Brasil); João Pessoa-PB, 2018. Disponível em: https://repositorio.ufpb.br/jspui/bitstream/123456789/15374/1/Arquivototal.pdf. Acessado em: 07/03/2021.

Guarneire, G. J. Diversidade e uso de plantas medicinais da APA Alto do Mucuri, MG; Teófilo Otoni-MG, 2018. Disponível em: http://acervo.ufvjm.edu.br/jspui/bitstream/1/1944/1/gracimerio_jose_guarneire.pdf. Acessado em: 07/03/2021.

Da Costa, I. B. C. Etnobotânica e práticas agroecológicas na comunidade rural Rio dos Couros, Cuiabá, MT, Brasil; Botucatu – SP, 2015. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/126430/000842928.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acessado em: 07/03/2021.

Lima, B.B.; Fernandes, F.P. Uso e diversidade de plantas medicinais no município de Aracati – CE, Brasil; JAPHAC: (7) 24-42, 2020. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Felipe-Fernandes-2/publication/340082226_Uso_e_diversidade_de_plantas_medicinais_no_municipio_de_Aracati_-CE_Brasil/links/5e762540a6fdcccd6213db24/Uso-e-diversidade-de-plantas-medicinais-no-municipio-de-Aracati-CE-Brasil.pdf. Acessado em: 07/03/2021.

Neto, J. R. A.; Barros, R. F. M.; Silva, P. R. R. Uso de plantas medicinais em comunidades rurais da Serra do Passa-Tempo, estado do Piauí, Nordeste do Brasil; R. bras. Bioci., Porto Alegre, v. 13, n. 3, p. 165-175, jul./set. 2015. Disponível em: http://www.ufrgs.br/seerbio/ojs/index.php/rbb/article/view/3280. Acessado em: 07/03/2021.

Roque, A.A.; Rocha, R.M.; Loiola, M.I.B. Uso e diversidade de plantas medicinais da Caatinga na comunidade rural de Laginhas, município de Caicó, Rio Grande do Norte (Nordeste do Brasil); Rev. Bras. Pl. Med., Botucatu, v.12, n.1, p.31-42, 2010. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbpm/a/vybCNbygcxXyMBvm9gD3jJd/abstract/?lang=pt. Acessado em: 08/03/2021.

Madaleno, I.M. Plantas da medicina popular de São Luís, Brasil; Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Cienc. Hum., Belém, v. 6, n. 2, p. 273-286, maio-ago. 2011. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1516-05722010000100006. Acessado em: 08/03/2021.

Da Costa, J.C. Estudo etnobotânico de plantas medicinais em comunidades rurais e urbanas do Seridó Paraibano, Nordeste do Brasil; Patos, Paraíba, 2013. Disponível em: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/13965. Acessado em: 08/03/2021.

Silva, C.G.; Marinho, M.G.V.; Lucena, M.F.A.; Costa, J.G.M. Levantamento etnobotânico de plantas medicinais em área de Caatinga na comunidade do Sítio Nazaré, município de Milagres, Ceará, Brasil; Rev. Bras. Pl. Med., Campinas, v.17, n.1, p.133-142, 2015. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1983-084X/12_055 . Acessado em: 08/03/2021.

Fagundes, N. C. A.; Oliveira, G. L.; Souza, B. G. Etnobotânica de plantas medicinais utilizadas no distrito de Vista Alegre, Claro dos Poções – Minas Gerais; Revista Fitos, Rio de Janeiro, Vol. 11(1), 1-118, 2017. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5935/2446-4775.20170007. Acessado em: 08/03/2021.

De Oliveira, C. Levantamento etnobotânico na comunidade Bola Verde, Teofilândia, Bahia; Cruz das Almas, 2012. Disponível em: http://www.repositoriodigital.ufrb.edu.br/bitstream/123456789/797/1/TCC%20-%20Carina%20de%20Oliveira.pdf. Acessado em: 08/03/2021.

Silva, R. D. C.; Roriz, B. C.; Scareli-Santos, C. Etnoconhecimento sobre as espécies medicinais utilizadas pela população de Araguaína, TO; Revista São Luís Orione -Volume 1 –nº 13 –2018. Disponível em: http://seer.catolicaorione.edu.br:81/index.php/revistaorione/article/view/93/73. Acessado em: 08/03/2021.

De Lima, T.C. Plantas medicinais recomendadas por raizeiros do município de cuité-PB para tratamento de infecções do trato respiratório, 2014. Disponível em:dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/bitstream/riufcg/9546/1/THIAGO CARDOSO DE LIMA - TCC FARMÁCIA 2014.pdf. Acessado em: 08/03/2021.

Pereira, L.G. Quintais rurais: etnobotânica com enfoque na diversidade e uso de plantas no município de Monsenhor Gil, Piauí, Nordeste do Brasil; TERESINA/PI, 2016. Disponível em: https://repositorio.ufpi.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/751/L%c3%9aCIA%20GOMES%20PEREIRA%20-%20WEB.pdf?sequence=1. Acessado em: 08/03/2021.

Da Silva, A.S.S. Etnoconhecimento sobre plantas medicinais e inter-relações com o meio ambiente na comunidade do Catu, Canguaretama (RN, Brasil); 2018. Disponível em: https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/25517/1/AmandaStefanieSergioDaSilva_DISSERT.pdf. Acessado em: 08/03/2021.

Ferreira, D. L. R. Plantas medicinais utilizadas em 9 comunidades rurais de Itacoatiara e aspectos anatômicos e histoquímicos de duas espécies (Pogostemon cablin Benth e Tripogandra glandulosa (Seub.) Rohw); Manaus, 2016. Disponível em: https://tede.ufam.edu.br/bitstream/tede/4972/2/Tese%20-%20Deolinda%20Luciane%20Ferreira.pdf. Acessado em: 08/03/2021.

Humenhuk, T., Leite, D. R. B., & Fritsch, M. Conhecimento popular sobre plantas medicinais utilizadas no município de Mafra, SC, Brasil. Saúde E Meio Ambiente: Revista Interdisciplinar, 9, 27–42, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.24302/sma.v9i0.2466. Acessado em: 08/03/2021.

Perez, I. U. Uso dos recursos naturais vegetais na comunidade indígena Araçá, Roraima; Boa Vista 2010. Disponível em: http://repositorio.ufrr.br:8080/jspui/handle/prefix/305. Acessado em: 08/03/2021.

Da Silva, D. B. Levantamento de plantas medicinais utilizadas pela população urbana no município de Capitão Poço, mesorregião nordeste paraense; 2019. Disponível em: bdta.ufra.edu.br/jspui//handle/123456789/1581. Acessado em: 08/03/2021.

Leite, I.A; De Morais, A.M.; Do Ó, K.D.S.; Carneiro, R.G.; Leite, C.A. A etnobotânica de plantas medicinais no município de São José de Espinharas, Paraíba, Brasil; Biodiversidade - V.14, N1, 2015. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/2249. Acessado em: 08/03/2021.

Penido, A.B.; De Morais, S.M.; Ribeiro, A.B.; Silva, A.Z. Ethnobotanical study of medicinal plants in Imperatriz, State of Maranhão, Northeastern Brazil; Acta Amazônica, VOL. 46(4) 2016: 345 - 354. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1809-4392201600584 . Acessado em: 08/03/2021.

Giraldi, M.; Ranazaki, N. Uso e conhecimento tradicional de plantas medicinais no Sertão do Ribeirão, Florianópolis, SC, Brasil; Acta bot. bras. 24(2): 395-406. 2010. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0102-33062010000200010. Acessado em: 08/03/2021.

Borges, R. M.; Moreira, R.P.D.M. Estudo etnobotânico de plantas medicinais no município de Confresa Mato Grosso, Brasil; Biodiversidade - V.15, N3, 2016. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/4270. Acessado em: 08/03/2021.

Queiroz, T.B.M. Levantamento etnobotânico e etnofarmacológico de plantas medicinais em duas comunidades na floresta nacional de Tefé, Alvarães, AM - Brasil; 2019. Disponível em: http://repositorioinstitucional.uea.edu.br//handle/riuea/2315. Acessado em: 08/03/2021.

Baptistel, A.C.; Coutinho, J.M.C.P; Neto, E.M.F.; Monteiro, J.M. Plantas medicinais utilizadas na Comunidade Santo Antônio, Currais, Sul do Piauí: um enfoque etnobotânico; Rev. Bras. Pl. Med., Campinas, v.16, n.2, supl. I, p.406-425, 2014. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1983-084X/12_137. Acessado em: 08/03/2021.

Vieira, L.S.; Sousa, R.S.; Lemos, J.R. Plantas medicinais conhecidas por especialistas locais de uma comunidade rural maranhense; Rev. Bras. Pl. Med., Campinas, v.17, n.4, supl. III, p.1061-1068, 2015. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1983-084X/15_009. Acessado em: 08/03/2021.

Beltreschi, L. Conhecimento botânico tradicional sobre plantas medicinais no Quilombo Ipiranga, município do Conde-Pb; João Pessoa, PB. 2016. Disponível em: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/9160. Acessado em: 08/03/2021.

Salviano PA. Revisão sobre o uso terapêutico da Luffa operculata(L) Cogniaux (cabacinha). Rev. Bras. Méd. 1992; 49 (9): 672-4.

Baldissera, M. D. et al. Genotoxic effect in vitro of arqueou extract of Luffa operculata. Ver. Disc. Scentia, v. 20, n. 3, p. 1-10, 2019.

Matos FJA. Farmacognosia de Luffa operculata cogn. Rev Bras Farm 1979; 60 (7/9): 69-76.

Brock, A. C. K.; DUARTE, M. do R.; NAKASHIMA, T. Estudo morfo-anatômico e abordagem fitoquimica de frutos e sementes de Luffa operculata (L) Cong. Curcubitaceae. Visão Acadêmica, v. 4, n. 1, p. 31-7, 2004. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5380/acd.v4i1.520. Acessado em: 11/05/2021.

Universidade Federal do Maranhão – UFMA. Série Fitoterápicos: Essência de Cabacinha - 2008. Disponível em: https://portais.ufma.br/PortalUfma/paginas/noticias/noticia.jsf?id=4632. Acessado em: 11/05/2021.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos. Informações Sistematizadas da Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS: Eucalyptus globulus Labill. (Eucalipto) / Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos. – Brasília: Ministério da Saúde, 2018. Disponível em: https://antigo.saude.gov.br/images/pdf/2018/novembro/21/18-0078-C-M-Eucalyptus-globulus.pdf. Acessado em: 11/05/2021.

Morais, Elisângela Jaime. Efeito do extrato do Eucalyptus globulus em fêmeas ingurgitadas de rhipicephalus sanguineus; Gama – DF, 2019. Disponível em: https://dspace.uniceplac.edu.br/handle/123456789/171. Acessado em: 11/05/2021.

Dos Santos, Edinalva Alves Vital. Estudo farmacobotânico de folhas de Amburana cearensis (Allemão) A.C.Sm. (fabaceae - faboideae). Anais II CONIDIS... Campina Grande: Realize Editora, 2017. Disponível em: http://www.editorarealize.com.br/artigo/visualizar/33517. Acessado em: 11/05/2021

Matos et al. Ácidos graxos de algumas oleaginosas tropicais em ocorrência no Nordeste do Brasil. Química Nova, v.15, n.3, p.181-185, 1992. Disponível em: http://submission.quimicanova.sbq.org.br/qn/qnol/1992/vol15n3/v15_n3_%20(1).pdf. Acessado em: 11/05/2021.

Maia, G.N. Caatinga: árvores e arbustos e suas utilidades. São Paulo: Editora Leitura e Arte, 2008, 159-169 p.

Amaro, H.T.R.; Silveira, J.R.; David, A.M.S de. Tipos de estacas e substratos na propagação vegetativa da menta (Mentha arvensis L.), Rev. Bras. Pl. Med., Campinas, v.15, n.3, p.313-318, 2013. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1516-05722013000300001. Acessado em: 04/07/2021.

Herbotecnia. Tecnologías de cultivo y poscosecha de plantas medicinales, aromáticas y tintóreas. Mentha arvensis. 2007 Disponível em: http://www.herbotecnia.com.ar/exotica-mentajaponesa.html. Acessado em: 04/07/2021.

De Sousa, L.T. Rosmarinus officinalis L. Labiatae (lamiaceae): uma revisão bibliográfica; Brasília, 2019. Disponível em: https://repositorio.ucb.br:9443/jspui/handle/123456789/12560. Acessado em: 04/07/2021.

May, A.; Suguino, E.; Martins, A.N.; Barata, L.E.S.; Pinheiro, M.Q. Produção de biomassa e óleo essencial de alecrim (Rosmarinus officinalis L.) em função da altura e intervalo entre cortes; Rev. Bras. Pl. Med., Botucatu, v.12, n.2, p.195 200, 2010. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1516-05722010000200011. Acessado em: 04/07/2021.

Campos, CAC de. Eficácia de solução tópica nasal de extrato de Luffa operculata para tratamento de rinossinusite bacteriana em coelhos./ Carlos Augusto Correia de Campos. São Paulo, 2010. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/cp146501.pdf. Acessado em: 07/08/2021.

Scalia et al. Atividade antimicrobiana in vitro da Luffa operculata; Braz J Otorhinolaryngol. 2015; 81(4):422-430. Disponível em: https://www.scielo.br/j/bjorl/a/CvQHrFZqpQjNdJZ66gsmg6w/?format=pdf&lang=pt. Acessado em: 07/08/2021.

Silva et al. Avaliação pré-clínica de Luffa operculata Cogn. e seu principal princípio ativo no tratamento da rinossinusite bacteriana; Braz J Otorhinolaryngol. 2018;84(1): 82-88. Disponível em: https://www.scielo.br/j/bjorl/a/Zx9vW8zHS6Z5G9DbgfJptrg/?format=pdf&lang=pt. Acessado em: 07/08/2021.

Downloads

Publicado

2022-03-03

Como Citar

RODRIGUES SANTOS, J.; DRUMMOND VIEIRA DA SILVA, F.; TRINDADE MARINHO SANTANA, H. .; FERNANDES NEULLS, T. PLANTAS MEDICINAIS UTILIZADAS PARA TRATAMENTO DA SINUSITE NO BRASIL: uma revisão de literatura. Scientia Generalis, [S. l.], v. 3, n. 1, p. 144–159, 2022. Disponível em: http://scientiageneralis.com.br/index.php/SG/article/view/389. Acesso em: 22 maio. 2022.

Edição

Seção

Revisão de literatura

ARK

PURL