GESTÃO AMBIENTAL NA ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR: um estudo de caso sobre a elaboração de um plano de gerenciamento de resíduos sólidos de serviços de saúde (PGRSS) em um hospital de Patos de Minas - MG

  • Lorrane de Almeida Silva Faculdade Patos de Minas
  • Wanderson Alves Pereira Faculdade Cidade de João Pinheiro
Palavras-chave: Meio Ambiente, Resíduo Hospitalar, Saúde Organizacional

Resumo

Na atual conjuntura de produção, comercialização e trabalho em larga escala resíduos e rejeitos são descartados diuturnamente por empresas e industrias de todos os ramos. O impacto ambiental que tais atividades geram é tremendo e diante da ausência de planejamento para concretização deste descarte é possível vislumbrar prejuízos de toda monta para o meio ambiente. Objetivou-se analisar e estudar as questões ambientais, internas e profissionais relacionadas aos resíduos da área de saúde diante da existência dos riscos inerentes à exposição dos trabalhadores e da sociedade, a fim de minimizar acidentes e contaminação. Um dos métodos utilizados foi a conscientização por palestras educativas, mostrando os benefícios e a importância do gerenciamento dos resíduos. Uma empresa que preza por tradição e excelência busca melhorias constantes nos processos de RSS (Resíduos Sólidos de Saúde). Estabelecer um plano de gerenciamento de resíduos é vincular sua empresa ao meio ambiente sustentável, nada mais é que atender à principal necessidade do mundo no século em que se vive para o bem-estar e vida com dignidade do ser humano.  

Referências

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA. Manual de Gerenciamento de Resíduos de Serviço de Saúde. Ministério da Saúde. Brasília, p.01-182, 2006

BRASIL. ANVISA: Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde, 2016. Disponível em: Acesso em: 12 abr 2016.

2 CORNIERI, Marina Gonzalbo; FRACALANZA, Ana Paula. Desafios do lixo em nossa sociedade. Revista Brasileira de Ciências Ambientais, São Paulo, p.57-64, jun. 2010. Disponível em: . Acesso em: 11 abr. 2019.

COSTA, Wesley Moreira da; FONSECA, Maria Christina Grimaldi da. A importância do gerenciamento dos resíduos hospitalares e seus aspectos positivos para o meio ambiente. Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, Hygeia, v. 31, n. 12, p.12-31, dez. 2009. Disponível em: . Acesso em: 31 mar. 2019.

DIONYSIO, Luís Gustavo Magro; DIONYSIO, Renata Barbosa. Lixo urbano: descarte e reciclagem de materiais. Creative Commons, Rio de Janeiro, p.01-24, nov. 2010. Disponível em: . Acesso em: 11 abr. 2019.

KALB, Christiane Heloisa. Os debates científico-técnicos sobre os riscos do lixo hospitalar: uma perspectiva interdisciplinar. Simpósio Internacional Sobre Interdisciplinaridade no Ensino, na Pesquisa e na Extensão – Região Sul, Região Sul, p.02-10, out. 2013. Disponível em: . Acesso em: 11 abr. 2019.

SOUZA, Eduardo Luiz de. Contaminação ambiental pelos resíduos de serviços de saúde. Revista do Coren / Sp, São Paulo, p.01-08, abr. 2014. Disponível em: . Acesso em: 11 abr. 2019.

PENTEADO, Maria Julieta. Cadernos de educação ambiental: Guia pedagógico do lixo. 12. ed. São Paulo: Secretaria do Meio Ambiente, 2011. 136 p. Disponível em: . Acesso em: 11 abr. 2019.

SHITSUKA, Ricardo. Educação ambiental e a conscientização da sociedade no tratamento do lixo. Cruzeiro do Sul, p.01-09, nov. 2009. Disponível em: . Acesso em: 11 abr. 2019.

TEOBALDO NETO, Aristóteles; COLESSANTI, Marlene Teresinha de Muno. Lixo: uma palavra, vários olhares. Londrina: Simpósio Nacional Sobre Geografia, Percepção e Cognição do Meio Ambiente, 2005.

TRINDADE, Naianne Almeida Dias. Consciência ambiental: coleta seletiva e reciclagem no ambiente escolar. Centro Cientifico Conhecer, Goiânia, v. 7, n. 12, p.01-15, maio 2011. Disponível em: . Acesso em: 11 abr. 2019.
Publicado
2020-03-17
Como Citar
SILVA, L. DE A.; PEREIRA, W. A. GESTÃO AMBIENTAL NA ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR: um estudo de caso sobre a elaboração de um plano de gerenciamento de resíduos sólidos de serviços de saúde (PGRSS) em um hospital de Patos de Minas - MG . Scientia Generalis, v. 1, n. 2, p. 49-65, 17 mar. 2020.
Seção
Relato de Caso e/ou Experiência