RESISTÊNCIA BACTERIANA AO ANTISSEPTICO CLOREXIDINA UTILIZADO NA PRÁTICA CLÍNICA BRASILEIRA

Autores

  • Malcon Soares Graciano
  • Guilherme Santos Romão

Palavras-chave:

Clorexidina; Resistência; Microrganismos..

Resumo

Introdução: Estabelecimentos voltados para saúde como hospitais, clínicas hospitalares e odontológicas e laboratórios utilizam uma quantidade de desinfetantes grande para diminuir ou eliminar microrganismos tanto da pele humana como de superfícies inanimadas principalmente instrumentais, aparelhos e bancadas. Além dos antibióticos, os antissépticos biocidas podem atuar como agentes resistentes aos microrganismos. Objetivos: Desenvolver uma investigação do conhecimento científico sobre a existência da associação na resistência de bactérias após o uso de antisséptico clorexidina. Especificamente, explorar e identificar a ocorrência das espécies adaptativas bacterianas provenientes da resistência ao composto clorexidina, além de detectar os tipos de concentrações inibitórias mínimas para o detergente antisséptico em questão. Metodologia: Realizou-se, entre os meses de fevereiro a março de 2020, uma procura eletrônica nos bancos de dados SciElo (Scientific Eletronic Library Online - Brasil), Plataforma Google Acadêmico Brasil, LILACS (Literatura da América Latina e Caribe), Sítio da Biblioteca Virtual da Faculdade Patos de Minas, e ScienceDirect. A pesquisa foi limitada a artigos originais de estudos empíricos e a revisões sistemáticas, publicados em inglês e português. Os temas utilizados para a procura foram: “antiseptic”, “bactéria”, “clorexidina”, “chlorhexidine”, “resistência”, “microorganismos”, “prevenção” e “infecção”. Ao final da apuração total dos conteúdos encontrados, foi analisado previamente, a permanência de pesquisas duplicadas no banco de dados. Considerações Finais: Acompanhar a evolução da susceptibilidade microbiana aos biocidas, em particular à CLX é de suma importância para que profilaxias sejam realizadas, evitando o surgimento de danos à saúde pública. Sendo assim, este material de revisão sistemática se torna uma ótima ferramenta para o monitoramento nos centros de saúde. O uso errôneo e exacerbado de CLX pode causar resistência microrganismos de grande importância na saúde pública como IRAS e MRSA, sendo indicado uma orientação em ambientes laboratoriais e hospitalares, e se necessário buscando o uso de concentrações mais eficazes de biocidas.

Referências

-

Downloads

Publicado

2021-01-06

Como Citar

GRACIANO, M. S. .; ROMÃO , G. S. . RESISTÊNCIA BACTERIANA AO ANTISSEPTICO CLOREXIDINA UTILIZADO NA PRÁTICA CLÍNICA BRASILEIRA. Scientia Generalis, [S. l.], v. 1, n. S1, p. 74–74, 2021. Disponível em: http://scientiageneralis.com.br/index.php/SG/article/view/133. Acesso em: 22 jan. 2021.