IMPLICAÇÕES DO USO DOS PSICOTRÓPICOS DE INTERESSE ODONTOLÓGICO

Autores

  • Érika Thamires de Oliveira
  • Leonardo Almeida Brandão
  • Stefani Pacheco
  • Roberto Wagner Lopes Góes

Palavras-chave:

Psicotrópicos; Manifestações Orais; Interações Farmacológicas.

Resumo

Introdução: Estima-se que 30% dos adultos no mundo atendam a critérios de diagnóstico para transtornos psíquicos; evidencias demonstram grandes mudanças nos padrões de adoecimento mental de crianças e adolescentes, sabe-se que atualmente 13% do total de todas as doenças do mundo levam à necessidade do uso de medicamentos psicotrópicos, que já pertencem ao grupo de drogas mais prescritas no mundo. Observa-se junto ao uso dos psicofarmacos a presença de patologias orais, sendo as mais frequentes o bruxismo e a xerostomia acompanhada de alterações químicas na saliva. Essas patologias desencadeiam sérios problemas como quadros de síndrome do ardor bucal, disgeusia, edema de língua, alteração na capacidade homeostática da cavidade oral, mudança da flora bacteriana, doença periodontal dentre outros. Observa-se também interações entre os anestésicos locais e os psicoativos; tais interações exacerbam os efeitos colaterais dos medicamentos psicotrópicos levando o paciente a apresentar aumento da pressão arterial e dos batimentos cardíacos. Outro aspecto das interações que deve ser observado atentamente e a interferência dos psicofármacos na metabolização dos anestésicos. Objetivo: Objetivou-se com esse trabalho destacar reações orais e interações farmaológicas desencadeadas pelo uso dos psicofármacos. Metodologia: O desenvolvimento desta pesquisa aconteceu através de revisão bibliográfica, com abordagem descritiva e qualitativa, através de conteúdos científicos que discorrem sobre o tema e indexados na base de dados da SCIELO, GOOGLE ACADÊMICO e  PUBMED Conclusão: É necessário que o cirurgião dentista tenha conhecimento das patologias orais e interações ocasionadas pelo uso dos psicotrópicos, tendo em vista as mudanças nos padrões de adoecimento da população que elevam a necessidade do uso desse tipo de medicação. O conhecimento das reações e interações decorrentes do uso dos psicoativos contribui diretamente para atendimentos odontológicos mais seguros e diagnósticos eficazes.

Referências

-

Downloads

Publicado

2021-01-06

Como Citar

OLIVEIRA , Érika T. de .; BRANDÃO , L. A. .; PACHECO, S. .; GÓES, R. W. L. . IMPLICAÇÕES DO USO DOS PSICOTRÓPICOS DE INTERESSE ODONTOLÓGICO. Scientia Generalis, [S. l.], v. 1, n. S1, p. 69–69, 2021. Disponível em: http://scientiageneralis.com.br/index.php/SG/article/view/128. Acesso em: 27 jan. 2021.